Como anda a sua sexualidade?

Como anda a sua sexualidade? Você tem vergonha do seu corpo? Você reprime seu corpo sexualmente? Você fica constrangida de conversar com o seu parceiro sobre o que lhe excita, e abre mão do seu prazer?

Bom em pleno século XXI, o sexo ainda é um assunto que requer muita atenção entre nós mulheres, já que fomos criadas aos moldes retrógrados de nossas mães e avós que o sexo era visto somente como o “ato de procriação”, em que a palavra prazer era um sinônimo de depravação.

Sem generalizar, mas a maioria de nossas matriarcas passaram a vida sem saber o que é orgasmo, pois o padrões de antigamente proibiam de falar sobre o tema.

Deusas do seculo21

E mesmo hoje com todas as informações em nossa volta, sabemos que é real o fato de muitas mulheres ao redor do mundo, se anularem em suas relações sexuais, justamente por causa dessa falta de coragem de conversar abertamente com seus parceiros, e mesmo que aparentemente não pareça essa falsa liberdade conquistada por nós mulheres, camufla insatisfações sexuais.

O sexo é um ato natural entre as espécies. o que nos diferencia dos demais é o fato claro de sermos “racionais”, o problema mora aí, na racionalidade, pois a partir do momento que agimos com a mente, todos os padrões egoicos acabam por direcionar a nossa vida segundo as influências externas (sistema) então até que ponto essa racionalidade nos é benéfica?

Porque o ser humano complica o sexo?

O sexo faz bem, há estudos que comprovam os benefícios físicos, além dos benefícios emocionais e psicológicos. Quanto mais conectado estiver o casal sexualmente, mais essa conexão se refletirá nas demais pessoas. Uma vez que estejam sexualmente bem resolvidos, esse bem estar se refletirá em suas ações e decisões.

Você se sente mais confiante, mais viva e tudo à sua volta estará mais colorido, já que estará refletindo a sua essência harmônica com o seu corpo.

O ato sexual saudável traz benefícios para nosso corpo, mente e espírito,as é preciso ressaltar um detalhe: qual é a sua visão em relação ao sexo? Já que o sexo foi banalizado e manipulado pelo sistema segundo seus interesses.

Pra isso vamos separar o sexo do amor, o famoso “sexo casual” virou moda nos dias atuais e suas derivações, como BDSM assunto a ser respeitosamente debatido.

Bom esse modismo de sexo livre, vem tipo que causando um curto circuito nas mentes das pessoas, fazendo com que a banalidade vem ser visto como algo normal.

E essa normalidade, vem acarretou às relações humanas, um paradoxo onde o amor, dignidade, sanidade e o respeito foram substituídos pela falsa liberdade do sexos, em que todo mundo transa com todo mundo. Uma vez que o prazer individual dita as regras. É mais uma vez a “Era do Eu” se sobrepujando.

Quando essa onda do “prazer momentâneo” passa deixa a margem sentimentos confusos e a implicação de atos impensados que serão cobrados maia cedo ou mais tarde.

O sexo casual de um outro ponto de vista, não denigre a visão saudável do sexo, são pessoas que não querem relacionamentos afetivos e buscam na casualidade suprir suas necessidades sexuais.

Se a pessoa tem consciência dessa escolha e não vai se cobrar futuramente pela falta de amor em suas relações, é um ato saudável mas se com o passar do tempo a cobrança sobre si mesma se tornar uma constância, então pode desenvolver padrões egoicos prejudiciais, tais como idealização de um parceiro, frustração sexual, depressão, baixa autoestima, distúrbio de e autoimagem etc.

Isso porque atrás dessa escolha do sexo casual existe uma pessoa extremamente carente, que se e autocorrompe acreditando ser superior a essa carência, quando na realidade, essa máscara criada pelo ego foi uma defesa de provavelmente vários relacionamentos frustrantes.

O sexo é o resultado da atração entre duas pessoas, como você administra essa relação é o que definirá seu conceito nesse âmbito. Ser for casual, você tem que estar ciente de que não passará de algumas transas e nada mais.

Se tiver um envolvimento afetivo, o contexto é totalmente diferente, pois engloba expectativas, e ainda estará sujeita a vivenciar essa experiência por um determinado tempo e conter a ansiedade é essencial para que não vire cobrança.

Deusas do seculo21

Já no casamento com a rotina é certeira o fogo da paixão tende a abrandar, mas a chama ainda existe e alimenta-la faz parte do processo para se ter uma vida sexual ativa e saudável.

Muitos casais tendem a se distanciar e acabam tendo relações extraconjugais, justamente por não saberem lidar com seus anseios e não dialogarem sobre o assunto, o que na maioria das vezes acarreta o término do casamento, quando uma das partes descobre.

Entenda que a traição foi inventada pelo sistema, para abonar um ato obtuso. Quando alguém trai a confiança do outro, na verdade está traindo a si mesmo, portanto a traição é uma justificativa inerme de quem não tem coragem de se autoenfrentar por isso age impulsivamente, não medindo consequências dos seus atos, o outro também atraiu essa traição pelo simples fato de não tentar ouvir ou enxergar o que estava bem diante dos seus olhos, e por essa razão permitiu que criasse uma barreira entre ambos, então não existe culpa, pois as duas pessoas são responsáveis, uma pela omissão e a outra pela ação.

Em qualquer relacionamento tem de haver diálogo, se não o outro tende a buscar “fora” o que não tem dentro da relação não é assim? E por termos tabus, pudores, ou timidez sobre falar abertamente o que falta sexualmente ou como deve ser feito para que cheguemos a delícias do orgasmo, evitamos, simulamos alguma discussão, fingimos a famosa “dor de cabeça”, afastando assim a oportunidade de estar intimamente mais conectados.

Você e seu corpo

O primeiro passo para ingressar nessa jornada de prazeres que o sexo pode lhe proporcionar é conhecer seu corpo, explorar cada parte, do contrário continuará frustrada, você conhece o caminho só precisa romper padrões que lhe impedem de percorre-lo e não há receita de bolo para tal, basta permitir esse reconhecimento erógeno, pois o seu corpo falará com você e será uma experiência ímpar, já que vai se descobrir verdadeiramente sem culpa, sem preconceitos e vale ressaltar que sua visão em relação ao sexo mudará a partir dessas experiência. Aproveite os momentos em que está sozinha para expor a sua sexualidade.

Deusas do seculo21

A partir do momento que você conhece seu corpo, todos os tabus e mitos caem por terra, e você enxerga o sexo como algo prazeroso entre dois corpos.

A sexualidade começa quando passamos a apreciar nosso corpo e isso independe de estarmos acima do peso, de termos imperfeições do tempo como rugas, estrias ou flacidez. Todo corpo tem os próprios encantos e precisamos nos harmonizar com o que temos nesse exato momento, pois se há imperfeições existe um capítulo da nossa história em cada uma delas, e como não amar cada detalhe das nossas experiências?

Tudo é uma questão de perspectiva, de estar desperta. Quando nos amamos de verdade esses detalhes perdem importância, pois a nossa visão de mundo não é mais baseada no sistema e sim na nossa essência, que nos revela tantas qualidades que essas imperfeições se tornam invisíveis aos olhos alheios.

Você e a sua visão do sexo

Você costuma ler sobre tema ou sexo é um tabu?

Cada uma de nós teve uma educação sexual diferente e milhares de nós nunca tiveram uma conversa sobre o assunto com as mães.

A nossa visão sobre sexo ainda é insatisfatória e preconceituosa, visto que o nosso sistema sempre burlou essa questão de acordo com os seus interesses, e a maioria de nós cresceu acreditando que o sexo é algo pecaminoso ou que o sexo só pode acontecer depois do casamento, para procriação e coisas do tipo.

Pois sempre nos venderam uma imagem censurável do sexo, insistem em banaliza-lo por meio da pornografia quando na realidade é um ato sublime entre duas pessoas, essa visão corrompida do sexo faz com que neguemos nossa sexualidade principalmente nós mulheres, é claro que existem outras questões envolvidas como um relacionamento a serem discutidas já que nesse caso o parceiro já existe; o amor, o ingrediente que mantém esse elo também é portanto nossa parte humana contém a nossa parte instintiva sustentando a fidelidade entre as partes.

Deusas do seculo21

O fato é que o sexo é algo natural e você da normalidade do sistema, por isso deixe lado todos os tabus, preconceitos e pudores. Pesquise, pergunte, questione, fantasie para você ter uma vida sexual plena e feliz.

Você e a sua sexualidade

Você explora o seu corpo ou é daquelas mulheres cheias de tabus? Você conhece as suas zonas erógenas ou se frustra na relação sexual?

O nosso corpo precisa ser desbravado mapeado, se você não demarcar os pontos chaves (erógeno) pode passar a vida toda sem desfrutar de tudo que eles podem lhe oferecer. ( Não cabe a outro essa missão)

Precisamos parar com a mania de idealizar o amante perfeito, se não nos conhecemos sexualmente como poderemos exigir do outro que nos dê prazer?

Esse pensamento de idealização é tão arcaico, mas ainda existem milhares de mulheres em todo o mundo a espera do amante perfeito, aquele que as levará às alturas, vivendo suas ilusões particulares e frustradas com seus parceiros quando a solução está mais próxima do que imaginam.

Para se ter uma vida sexual saudável a dois é preciso de honestidade entre ambos, não tenha vergonha de conversar com seu parceiro, de fazer perguntas de conduzi-lo durante a relação sexual e aproveite para se explorar durante o ato sexual.

Ter uma vida sexual plena é preciso que você se liberte de tudo que a impeça de se enveredar por essa fascinante jornada do prazer.

Faz parte do auto conhecimento esse processo físico, pois a partir do momento em que tocamos o outro passamos a ter consciência de nós mesmas.

Deusas do seculo21

Não tenha receio dos pensamentos que lhe vem à mente, das suas fantasias, dos seus fetiches, lembre-se de que entre quatro paredes tudo é permitido desde que não lhe agrada física ou moralmente.

Permita -se explorar a sua sexualidade de a chance do seu parceiro lhe conhecer por inteiro, entregue-se a essa experiência e verá como se tornará mais feliz e realizada.

Não se preocupem com as imperfeições do seu corpo, pois o que importa numa relação são a sedução, atração que ambos sentem, o respeito de um para com o outro.

Fantasias e fetiches são válidos para temperar a relação e porque não experimentar algo, se envolver em um ambiente diferente. O Kama Sutra e o sexo tântrico são exemplos interessantes para se explorar, o importante é experimentar e avaliar o que mais lhe agrada, sempre sendo sincera consigo mesma.

O que realmente importa é que você seja feliz com a sua sexualidade, com o seu corpo e com o seu parceiro.

Siga Deusas na redes
Deusas do seculo21

Comentários

comentários

Isabela Castro

Isabela Castro

Terapeuta corporal e massoterapeuta e tenho por objetivo aplicar princípios, métodos e técnicas de terapias naturais com a finalidade de manter, equilibrar ou restabelecer a saúde, a harmonia e a qualidade de vida através do corpo. Desenvolvendo trabalho com mulheres através da massoterapia, com foco no auto conhecimento da essência feminina.

Leave a Reply